• Arte do Pacífico * Arte da África Negra * Arte Pré-Colombiana

  • Vozes de África – O Pano Preto * Um Passeio na Noite * Os Contos de Amadou Koumba * Xala

  • Grande Diccionario Portuguez Thesouro da Língua Portugueza

    Grande Diccionario Portuguez Thesouro da Língua Portugueza «€250.00»

    Dr. Fr. Domingos Vieira – Grande Diccionario Portuguez Thesouro da Língua Portugueza – Editores, E. Chadron e Bartholomeu H. de Moraes – Porto – 1871/74. Desc.[Vol. I]CCXLVIII] + [836] + [Vol.II]LXXX] + [1159] + [Vol. III]1360] + [Vol. IV]1037] + [Vol.V]1038] pág / 30,5 cm x 24 cm / E. Pele

     

     

    Fr. Domingos Vieira Augustiniano; professou, segundo julgo, no convento da Graça de Lisboa, onde exerceu vários cargos, e ahi residia na epocha da suppressão das ordens religiosas em Portugal.-Morreu ha poucos annos, porém não pude apurar a data precisa do obito. Não pude ainda colher outras informações a seu respeito senão as de que residira por muitos annos no collegio de N. S. do Populo em Braga, pertencente à sua ordem, e que ahi fora Mestre de Theologia, tornando-se recommendavel por letras e virtudes.


  • Catálogo das Pragas das Culturas em Portugal Continental

    Catálogo das Pragas das Culturas em Portugal Continental «€45.00»

    J.A.Monteiro Guimarães – Catálogo das Pragas das Culturas em Portugal Continental (Edição Provisória) – [Vol.I – Insecta: Pequenas Ordenes e Coccoidea] – [Vol.II – Insecta: Aphidoidea] – [Vol.III – Insecta, Lepidoptera: Microlepidoptera] – Direcção-Geral dos Serviços Agrícolas/ Laboratório de Fitofarmacologia / Comissão Reguladora dos Produtos Químicos e Farmacêuticos – Lisboa – 1973/74. Desc.[VIII] + [298] + [235] + [237] / 21 cm x 14,5 cm / Br.


  • Escriptos Diversos

    Escriptos Diversos «€120.00»

    Augusto Filipe Simões – Escriptos Diversos – Imprensa da Universidade – Coimbra – 1888.Desc.[390] pág / 23 cm x 16 cm / E.Pele

     

     

     

    SIMÕES, Augusto FilipeNasceu em Coimbra a 18 de Junho de 1835. Licenciado em Filosofia e Medicina (1872), Doutor em Medicina (1872), Lente Substituto (1873) e Lente Catedrático (1882) da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra e Bibliotecário interino da Biblioteca da Universidade desde 1883 até 1 de Novembro de 1884, quando faleceu.

    Na Biblioteca, dedicou especial atenção à preservação e segurança do seu espólio documental, tendo providenciado a catalogação sistemática dos milhares de livros dos fundos dos conventos extintos.

    Entre outros cargos desempenhados, merece particular relevo o lugar de Bibliotecário da Biblioteca Pública de Évora, de 1863 a 1872.

    Foi sócio efectivo do Instituto de Coimbra a partir de 13 de Janeiro de 1859, onde desenvolveu importante actividade, empenhando-se particularmente na criação da secção de Arqueologia e do respectivo museu e cujo catálogo redigiu.

    É autor de vasta bibliografia, onde se destacam: Relíquias da arquitectura romano-bizantina em Portugal, e particularmente na cidade de Coimbra, Da arquitectura religiosa em Coimbra, durante a Idade Média, Introdução à arqueologia da Península Ibérica.

    Foi um dos editores do Arquivo Pitoresco e colaborou ainda em diversos periódicos – Artes e Letras, Arte, Ocidente, e Boletim Arquitectónico de Arqueologia da Real Associação dos Arquitectos e Arqueólogos Portugueses, de Lisboa. De Coimbra, além de O Instituto, participou também no Recreio Juvenil, Prelúdios Literários, Revista Académica (2ª. série), Literatura Ilustrada, Panorama Fotográfico de Portugal, Portugal Pitoresco, Amigo do Estudo, Gazeta de Coimbra, O Conimbricense e Tribuno Popular.


  • O Tempo e o Modo – Revista de Pensamento e Acção

    O Tempo e o Modo – Revista de Pensamento e Acção – (Do nº 1  ó nº45 ) «€250.00»

    O Tempo e o Modo – Revista de Pensamento e Acção – Direcctor – Alçada Baptista – (Janeiro de 1963/ Janeiro de 1967)

     

    O Tempo e o Modo foi uma revista portuguesa cuja primeira publicação data de Janeiro de 1963. Tratava-se de uma revista que marcou a sociedade portuguesa pela abertura de novos horizontes políticos, culturais, literários e artísticos. Como se podia ler na capa da revista, foi Uma revista de pensamento e acção. Teve como fundadores, uma geração de não conformistas provenientes de diversos movimentos católicos como o jornal Encontro e da Juventude Universitária Católica (JUC). Desses fundadores, podemos destacar António Alçada Baptista, João Bénard da Costa, Pedro Tamen, Nuno de Bragança, Alberto Vaz da Silva e Mário Murteira, sendo que, a estes se vieram juntar mais tarde, outros inconformados dispostos a intervir para alterar a sociedade/regime como por exemplo Mário Soares, Francisco Salgado Zenha, Francisco Lino Neto, Adérito Sedas Nunes, Jorge Sampaio, Manuel de Lucena, Manuel dos Santos Loureiro, Mário Sottomayor Cardia, Helena Vaz da Silva, Vasco Pulido Valente, João Cravinho, etc. A revista teve como primeiro director António Alçada Baptista e como chefe de redacção João Bénard da Costo


  • Santo António de Lisboa – Obras Completas – Obras Completas (Tesouros da Literatura e da História)

    Santo António de Lisboa – Obras Completas «€100.00»

    Henrique Pinto Rema (Traduçãoe Notas ) – Santo António de Lisboa (Sermões Dominicais e Sermões Marianos) (sermões Dominicais e Festivos) – Obras Completas (Tesouros da Literatura e da História) – Prefácio de Jorge Borges de Macedo – Lello & Irmão – Editores – Porto – 1987.Desc.[XCIV] + [971] + [1071] pág / 26 cm x 19 cm / E.Original


  • Estudos Políticos e Sociais (Revista Trimestral)

  • António de Cértima – Vida * Obra * Inéditos

    António de Cértima – Vida * Obra * Inéditos «€15.00»

    Arsénio Mota – António de Cértima – Vida * Obra * Inéditos – Edição – Livraria Figueirinhas – Porto – 1994. Desc.[215] pág / 20,5 cm x 13,5 cm / Br.Ilust

     

     

     

     

    Universidade de AveiroAntónio de Cértima foi um escritor português, nascido no lugar de Gesta,freguesia de Oiã, concelho de Oliveira do Bairro, em 27 de Julho de 1894 e falecido no Caramulo, Tondela, a 21 de Janeiro de 1983. Foi baptizado no entanto com o nome de António Augusto Gomes Cruzeiro. Seguiu a carreira diplomática, tendo sido cônsul em Dacar e Sevilha. Dedicou-se depois à vida comercial. Estreou-se no mundo das letras com o volume de poemas Marília (1914). Publicou poesias, contos, novelas, romances, narrativas e poemas musicados. Encontra-se colaboração da sua autoria nas revistas Contemporânea (1915-1926), Acção realista(1924-1926) e Música (1924-1925), nomeadamente o artigo “As cerâmicas decorativas” no nº 1, de 15 de Julho de 1924.

     


  • Isabel da Luz de Figueiredo – Mecenas e Benemérita Aveirense

    Isabel da Luz de Figueiredo – Mecenas e Benemérita Aveirense «€13.00»

    Amaro Neves – Isabel da Luz de Figueiredo – Mecenas e Benemérita Aveirense – Edição – ADERAV – Associação de Defesa do Património Natural e Cultural da Região de Aveiro – Aveiro – 2009. Desc.[144] pág / 24 cm x 17 cm / Br.